É um ramo da medicina dentária que actua a nível das estruturas dentárias, afetadas por cárie, traumatismos, anomalias de desenvolvimento, entre outros factores, com vista a promover o restabelecimento da integridade anatómica e funcional das estruturas afetadas.

Para tal, são utilizados diversos materiais, dependendo da finalidade do tratamento, bem como das condições do meio no momento da intervenção.
Actualmente, as resinas compostas directas são o material mais utilizado para o restabelecimento das estruturas dentárias lesadas, já que permite a execução de restaurações estéticas quer a nível anterior como posterior, com características próximas aos dentes naturais (brilho, cor, textura, entre outras) sem pôr em causa as características físicas e mecânicas do material restaurador.

Quando as condições do meio oral não são as mais adequadas, devido ao excesso de fluxo salivar, sangramento, condições físicas inerentes ao paciente, ou mesmo necessidade de estabilizar a doença cariosa, para posteriormente possibilitar a reabilitação estética das estruturas dentárias, pode tornar-se necessário o recurso ao ionómero de vidro; material que, embora branco, possui características estéticas ligeiramente inferiores às das resinas compostas, mas com a capacidade de libertar flúor para o meio e com a possibilidade de ser utilizado em condições mais adversas, possibilitando a estabilização da doença e a criação de condições favoráveis às restaurações seguintes.

Existem ainda casos onde, o recurso ao amálgama dentário, é a melhor opção. Por exemplo, nos casos onde as condições do meio oral não são favoráveis à utilização de resina, devido ao excesso de saliva e sangue e o médico dentista verifique que o ionómero não consegue selar adequadamente a cavidade.

 

Dr. Gonçalo Oliveira Dr. Fernando Reis